Vingança contra o (des)atendimento do telemarketing

Hoje passei meia hora ouvindo a musiquinha do serviço de telemarketing da empresa de telecomunicações que eu havia requerido alguns serviços na semana passada, esperando pra pedir de novo, um dos serviço que eu já havia pedido há uma semana atrás, a ativação da conexão ADSL na linha telefônica. Na verdade, foram 31 minutos. Já explico o porquê da precisão descritiva do tempo.
Liguei pela primeira vez, às 9 horas da manhã, e, seguindo os passos do menu de voz por uns 3 minutos, até que caí na espera do “atendente”. 10 minutos esperando.
Gozado, parece que num país produtor de bananas havia sido sancionada pelo presidente da República, sóbrio ou não, que estabelecia a obrigatoriedade do atendimento em, no máximo, 1 minuto…mas aqui a Lei “não pegou”.
Ok, mais alguns minutos escutando “senhor” pra cá, “senhor” pra lá…pensei que eu tava na porta do paraíso(ou do inferno).
E então, finalmente, quando o serviço que eu estava pedindo iria ser ativado e o meu humilde desejo concretizado…a ligação caiu!
Verdade.
Mas como eu sou da SOEMA(sociedade dos empresários masoquistas) e não iria parar na primeira.
Segui a mesma rotina, os mesmos passos, tomei as mesmas chicotadas nas costas, e por incrível que pareça, no exato mesmo momento da situação anterior, a ligação caiu de novo.
Depois de duas, ao invés de ir fumar um cigarrinho(até porque não fumo), eu tive uma idéia.
Se uma empresa que faz tanta publicidade tem um serviço tão ruim, ainda contaminada com a letargia do serviço público não no sangue, mas no DNA, a conta não está fechando.
Se ela não se preocupa com a insatisfação do cliente, com a opinião do cliente, com o quê ela se preocupa? O quê ela faz bem feito?
Então pensei: tanto dinheiro gasto em publicidade e com(imagino eu) tantos clientes abandonando por insatisfação, essa empresa deve ser muito boa e ter uma preocupação especial com…VENDAS.
Vendas, vendas, vendas.
Vende tanto que não se preocupa com que troca de marca.
Antes que me perguntem o porquê eu não troquei de marca, digo, meu escritório fica num bairro afastado, com aquele clima de sítio, e adivinhem qual a única empresa que fornece banda larga por lá?
Mais uma benesse do DNA público, linhas de transmissão que foram subsidiadas pelo governo…
Mas voltando às vendas, o desfecho:
Liguei pela terceira vez pro telemarketing(bate que eu gostcho), mas dessa vez, ao invés de seguir os passos do menu de voz, para realmente chegar ao serviço que eu precisava, tomei o caminho do “Adquira os nossos serviços”.
Adivinha??
Fui prontamente atendido por uma pessoa muito mais preparada e mais bem informada que as outras duas primeiras, e em apenas 1 minuto, tudo resolvido.
Depois dessa saga, sugiro a todos os leitores tomarem esse caminho para virarmos a mesa.
É como a revolução dos bichos.
Vamos congestionar tanto a linha das vendas que as pessoas disponíveis para o atendimento, irão talvez, atender.
Take the power back!!!!!